Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > IFSP tem patente e registro de software depositados no INPI
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

IFSP tem patente e registro de software depositados no INPI

Pedido da patente “Dispositivo contador de colônias de bactérias e método de contagem” e o registro do software “BrColonyCounter” foram realizados em parceria com a UTFPR e a Embrapa.

  • Publicado: Terça, 27 de Agosto de 2019, 17h37
  • Última atualização em Terça, 27 de Agosto de 2019, 18h43

Neste mês de agosto, o IFSP em parceria com a UFTPR e a Embrapa, depositou junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) o pedido da patente “Dispositivo contador de colônias de bactérias e método de contagem” e o registro do software “BrColonyCounter”. A invenção e o software são resultados do projeto de mestrado do professor Ricardo Conde Camillo da Silva, servidor do câmpus Birigui, e tem como coautores o professor Fabrício Martins Lopes, da UFTPR, e Mariangela Hungria da Cunha, servidora da EMBRAPA. 

Atualmente, os contadores de colônias automáticos existentes são projetados com a proposta de realizarem contagens automáticas com aspectos genéricos contemplando um gama de contagens, desde colônias de bactérias passando por fungos e vírus em suas diversas variantes, podendo trazer resultados comprometidos quanto à acurácia por não serem dimensionados para uma única especialidade, impossibilitando assim seu refinamento através de ajustes finos requeridos pela especificidade da contagem em questão. O dispositivo foi projetado, desenvolvido e devidamente ajustado para a especialidade de contagens de forma automática de colônias de bactérias, com diversos ajustes finos no hardware e software objetivando refinar o reconhecimento de formas, cores e dimensões das colônias pelas etapas de processamentos de imagens.

   Colônias de bactérias do gênero Bradyrhizobium
Colônias de bactérias do gênero Bradyrhizobium

Patentes no IFSP

De acordo com a Lei de Inovação, a titularidade das patentes – caso sejam concedidas – será do IFSP. Em caso de licenciamento para comercialização de produtos, os ganhos econômicos são divididos entre o inventor ou os inventores, o câmpus do inventor e a INOVA IFSP.

No IFSP, a Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia – INOVA IFSP é o responsável por esse processo de solicitação de patentes e também por viabilizar a transferência de tecnologias desenvolvidas na instituição. Os pesquisadores que identificarem que suas pesquisas podem render patentes devem acessar as instruções para submissão (https://portalpadrao.ifsp.edu.br/inova/index.php/comunique-sua-invencao) ou procurar diretamente a INOVA IFSP.

Os interessados podem enviar e-mail para  ou ligar para (11) 3775 4570.

 Entenda como funciona o processo de patente 

De acordo com o INPI, a patente é um título de propriedade temporária sobre uma invenção ou modelo de utilidade, outorgado pelo Estado aos inventores ou autores. Em contrapartida, o inventor se obriga a revelar detalhadamente todo o conteúdo técnico da matéria protegida pela patente. Para que o resultado de uma pesquisa seja passível de patenteamento é necessário que atenda aos requisitos de novidade, atividade inventiva e interesse industrial.

Para mais informações, acesse o site do INPI. (http://www.inpi.gov.br/)

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página