Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Alunos do IFSP são destaque na OBA e na Mostra de Foguetes
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Alunos do IFSP são destaque na OBA e na Mostra de Foguetes

Medalhistas são dos Câmpus Hortolândia, Birigui, Bragança, Capivari, Catanduva, Guarulhos, Pres. Epitácio, Sertãozinho e Tupã

  • Publicado: Quarta, 06 de Janeiro de 2021, 16h10
  • Última atualização em Sexta, 08 de Janeiro de 2021, 13h46

Seis estudantes dos cursos Técnicos Integrados em Informática e Mecânica, do Câmpus Hortolândia, conquistaram medalhas de na 23ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e na 14ª Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG). Esses eventos são realizados anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB).

A OBA foi realizada de forma virtual, entre os dias 12 e 13 de Novembro. Os estudantes Danielle dos Santos Chagas e Mateus Rodrigues de Miranda conquistaram medalha de Prata. Pelo desempenho, eles vão participar das seletivas dos alunos que representarão o Brasil nas Olimpíadas Internacionais de Astronomia em 2021. Eles estão também recebendo oportunidades de bolsas de graduação nos Estados Unidos.

A MOBFOG deste ano foi dividida entre as modalidades real e virtual. Nos lançamentos reais, os competidores tinham que lançar seus foguetes, construídos com garrafas PET afim de obter o maior alcance horizontal possível. Na modalidade virtual os estudantes projetaram seus foguetes por meio do software OpenRocket com o objetivo de obter o maior alcance vertical possível. A equipe dos estudantes Danielle Chagas, Fabrício Alcassa e Gabrielly Chagas conquistou medalhas de ouro nas duas modalidades. Pelo seu desempenho, esses estudantes poderão participar da Jornada de Foguetes, evento que reúne as equipes campeãs para lançar foguetes e participar de oficinas, palestras e atividades em planetário.

A equipe dos estudantes Isadora Caroline Deodato e Samuel Sousa Silva do Câmpus Hortolândia também foi medalhista na MOBFOG. Eles conquistaram bronze no lançamento real e ouro no lançamento virtual.

Responsável pela inscrição e acompanhamento do grupo de estudantes na OBA e MOBFOG, o professor Marcelo Cardinali destaca o grande empenho dos alunos. "Esse ano foi recorde de medalhas na OBA e MOBFOG. No meio de tantas atividades escolares e dificuldades impostas pela pandemia, pude acompanhar o empenho e dedicação deles nas olimpíadas. Isso mostra que estamos no caminho certo e conseguindo motivar nossos estudantes", contou.

Câmpus Birigui

O Câmpus Birigui teve 9 medalhas na na 23ª Olímpiada Brasileira de Astronomia e na 14ª Mostra Brasileira de Foguetes, sendo 6 alunos medalhistas, todos Curso Técnico Integrado em Informática.

Na OBA, os estudantes Davy Albert Dutra de Andrade, Pedro Henrique Freitas Balduci e Vínicius Rocha Caetano receberam medalha de prata, enquanto Carlos Eduardo Canabarra e Lívia Pinatti Silva ficaram com a medalha de Bronze. Na MOBFOG  Kamilly Victória Pedi Fontanetti, Lívia Pinatti Silva, Pedro Henrique Freitas Balduci e Vínicius Rocha Caetano receberam medalha de ouro.

A OBA e a MOBFOG tem por objetivos fomentar o interesse dos jovens pela Astronomia, Astronáutica e ciências afins e promover a difusão dos conhecimentos básicos de uma forma lúdica e cooperativa, mobilizando num mutirão nacional, além dos próprios alunos, seus professores, diretores, pais e escolas.

Câmpus Bragança Paulista

No Câmpus Bragança Paulista, cinco alunos dos cursos Técnicos Integrados foram medalhistas. Os estudantes Laura dos Reis de Godoy e Tiago Martins Pereira conquistaram a medalha de Prata e os estudantes Ana Maria Yukie Sasajima, Erick Rian Coutinho de Souza, Vinícius Alexandre Noguerol Biazetto conquistaram a medalha de bronze. Os cinco alunos foram convidados para participar da seletiva que escolherá estudantes para o Treinamento 2021, do qual serão selecionados 40 participantes para compor as equipes brasileiras que participarão das Olimpíadas Internacionais de Astronomia de 2021.

Câmpus Capivari

O Câmpus Capivari teve três medalhistas na OBA. Lívia Nascimento Peressim (Medalha de Ouro) e Thales Rafael Fransin (Medalha de Prata), do Curso Técnico Integrado em Química; e Henrique de Andrade Assme, do Curso Técnico Integrado em Informática, recebeu Medalha de Bronze.

Câmpus Catanduva

No Câmpus Catanduva, três estudantes foram medalhistas. Alison José Pereira Neri, conquistou medalha de ouro, já Breno Henrique da Silva e Paulo Henrique Nascimento Filho conquistaram medalhas de bronze. Os três discentes foram convidados para participar da seletiva que escolherá estudantes para o Treinamento 2021, do qual serão selecionados 40 participantes para compor as equipes brasileiras que participarão das Olimpíadas Internacionais de Astronomia de 2021.

O docente Guilherme Nery Prata, um dos organizadores da OBA no Câmpus Catanduva, avalia a participação como muito positiva e ressalta: “os resultados foram construídos sob as dificuldades impostas pela pandemia”. Esta foi a primeira vez que estudantes do Câmpus Catanduva conquistaram medalhas na OBA. O professor salienta, ainda, que os resultados significam um grande incentivo não somente aos estudantes como também para toda a comunidade câmpus.

Câmpus Guarulhos

No Câmpus Guarulhos, dezenove alunos dos cursos integrados em Informática e Mecatrônica realizaram as provas da OBA, e sete deles foram premiados: Anthony Zito Tegoshi, Luyara Santiago Ferreira e Victória Silva Alves de Oliveira conquistaram medalhas de prata, enquanto Ana Maísa do Nascimento Santos, Giane Mayumi Galhard e Vinícius Costa dos Santos as de bronze.

Nathalia Assunção das Chagas, obteve medalha de ouro na modalidade virtual da Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG). Os alunos foram convidados para bolsas de graduação nos Estados Unidos e para participar de uma seleção que definirá a equipe brasileira que vai disputar as Olimpíadas Internacionais de Astronomia em 2021.

 

"Os estudantes se prepararam para as competições revisando os conteúdos de forma autônoma e resolvendo questões de provas anteriores. Parabenizo a todos os participantes pelo interesse e dedicação!", explica Aline Ribeiro Sabino, docente de Física, no Câmpus Guarulhos. Ela auxiliou os alunos durante o processo, desde a divulgação das Olimpíadas até o envio dos certificados. 

 

 

Câmpus Presidente Epitácio

Estudantes do Câmpus Presidente Epitácio também participaram da 23ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Nesta edição, a estudante Eduarda de Paula Gomes da Silva, do 3º ano do curso Técnico em Mecatrônica, conquistou medalha de bronze e Gabriel Silva Mariano, do 1º ano do curso Técnico em Mecatrônica, conquistou medalha de prata. Ambos estão entre os convidados para a pré-seleção para as Olimpíadas Internacionais de Astronomia de 2021. 

No Câmpus Presidente Epitácio, os professores Enio Freire e Diego Nunes são os representantes da OBA Os dois parabenizaram os alunos medalhistas pela conquista.

Câmpus Sertãozinho 

O Câmpus Sertãozinho conquistou oito medalhas na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica: duas medalhas de ouro, três medalhas de prata e três medalhas de bronze. Em 2019, foram 5 medalhas, sendo um ouro, uma prata e três bronze e em 2018 foram 3 medalhas sendo um ouro, uma prata e um bronze.

Os estudantes Victor Moreli dos Santos e Natasha Alves Caetano, ambos do curso técnico em Automação conquistaram a medalha de ouro. A estudante Lívia Trevisan Reis, do curso técnico em Química e os estudantes Matheus Cavalcanti de Santana e Paulo Henrique Fernandes Pereira, do curso técnico em Automação conquistaram a medalha de prata. Já a medalha de bronze foi conquistada pelos estudantes Guilherme Faria da Silva e Weverton da Silva Santos do curso técnico em Automação e pela estudante Letícia Yumi do curso técnico em Química.

Devido ao isolamento, este ano projeto de extensão “Ciência e Arte” não conseguiu realizar os eventos de observação do céu, nem as aulas de reforço e aprofundamento para a prova, apenas foi oferecido materiais de apoio e a possibilidade de sanar dúvidas no ambiente virtual de aprendizagem do câmpus. No entanto, os organizadores do projeto asseguram a retomada das atividades quando as aulas presenciais retornarem.

Vale lembrar que desde 2018, algumas universidades passaram a reservar vagas para alunos premiados em olimpíadas científicas, entre elas a USP e a UNICAMP.

Câmpus Tupã

O Câmpus Tupã do IFSP também comemora as medalhas de quatro alunos na 23ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Felipe Sanches e Bruno Henrique Silva Viola, alunos do Técnico em Eletrotécnica,  e Cauan Ferrara Batista, do Técnico em Eletrônica, conquistaram medalhas de prata, enquanto Lucas Satoshi Cipriano Oikawa, aluno do Técnico em Eletrônica, recebeu a medalha de bronze. Todos os alunos cursam o técnico integrado ao ensino médio. 

O docente José Roberto Severino Martins Jr., responsável pela inscrição e acompanhamento dos estudantes na competição, explica que, pelo desempenho, todos os medalhistas foram pré-selecionados para participar das seletivas para compor a equipe brasileira que representará o País nas Olimpíadas Internacionais de Astronomia em 2021. 

Para José Roberto, as conquistas foram muito significativas "pois mesmo em meio a tantas adversidades enfrentadas pela pandemia no ano de 2020nós conseguimos conquistar 4 medalhas e ainda avançar para a próxima fase da competição". O docente parabenizou ainda os demais alunos participantes "pelo empenho e motivação dedicados a uma olimpíada de conhecimento desse porte" 

 

 

Mais informações em http://www.oba.org.br/site/

registrado em:
Fim do conteúdo da página