Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > IFSP capta mais 150 mil para desenvolvimento de tecnologia
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

IFSP capta mais 150 mil para desenvolvimento de tecnologia

  • Publicado: Quinta, 13 de Dezembro de 2018, 08h55

O IFSP captou, por meio de sete câmpus, a quantia de R$ 150.262,94 para desenvolvimento de soluções técnicas e tecnológicas. No dia 5 de dezembro, o reitor Eduardo Modena assinou o último projeto contemplado no edital 216/2018. A contrapartida da instituição, com bolsas de incentivo aos pesquisadores, será de R$ 127.500,00, com valores específicos por projeto.

O edital é uma iniciativa da Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (INOVA IFSP), que selecionou projetos cooperados de pesquisa para desenvolvimento de tecnologia, produto, serviço ou processo, capazes de contribuir com a inovação no país.
Os valores captados junto às empresas serão utilizados na geração de bolsas de estudos aos alunos, aquisição de material permanente e de consumo.

Os projetos propostos estão na tabela a seguir:

Análise, classificação e detalhamento de baterias de lítio

Estudo para modernização de um forno industrial através da implementação de sistemas de controle e automação

Sistema de autenticação por reconhecimento do padrão de digitação

Desenvolvimento de um detergente multienzimáticos de alta performance

Avaliação e monitoramento da qualidade da água do Rio São Lourenço em Matão

Otimização e melhoria do processo produtivo da Biagio Turbos

Investigação do uso de espectroscopia de impedância para análise de qualidade da carne

 Incentivo

O financiamento de pesquisa no país depende, quase exclusivamente, de agências governamentais. Em geral, os recursos são direcionados para as instituições já consolidadas, por isso o edital do IFSP, por meio da INOVA, contribui para que “novos” grupos de pesquisa surjam e sejam apoiados em seus trabalhos. Para o professor Márcio André Miranda, do Câmpus Campinas, este formato de edital permite que as instituições privadas compartilhem os custos das pesquisas, não ficando o ônus apenas para as instituições públicas. “O aluno pode se beneficiar nos dois âmbitos: no desenvolvimento acadêmico, produzindo trabalhos relevantes, e podendo ser absorvido mais facilmente pelas empresas envolvidas”, aponta.

Miranda ainda ressalta que houve a participação de alunos de seu câmpus em outros editais de incentivo à pesquisa. Por meio desse trabalho, os estudantes de Iniciação Tecnológica estiveram em cinco congressos do setor, sendo dois deles internacionais. Em um dos eventos, foram premiados com o certificado de melhor trabalho em Saúde Humana.

Um dos objetivos propostos no edital da INOVA é que a pesquisa beneficie a comunidade. As melhorias podem atingir diretamente a comunidade acadêmica (servidores e alunos), contribuir com a elaboração de arranjos produtivos locais e incentivar a economia regional ou, ainda, fortalecer as empresas que poderão ofertar novas vagas de trabalho. Segundo Miranda essas pesquisas podem gerar muitos benefícios como, por exemplo, a criação de novos postos de trabalho especializados. Dessa forma, afirma o professor, o IFSP poderá atender e contribuir com o desenvolvimento da comunidade e, ao final, contribuir com fortalecimento de todos os setores da comunidade envolvidos.

registrado em:
Fim do conteúdo da página