Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

IFSP desenvolve protótipo de cadeira de rodas motorizada de baixo custo

O projeto envolveu alunos e servidores do Câmpus Votuporanga e contou com a parceria de instituições do município de Fernandópolis 

  • Publicado: Quinta, 12 de Dezembro de 2019, 14h03

Um acordo de cooperação técnica entre o IFSP, a Associação dos Amigos do Município de Fernandópolis (AAMFer) e a Rede de Reabilitação Lucy Montoro (unidade de Fernandópolis) resultou no desenvolvimento de um protótipo de cadeira de rodas motorizada de baixo custo, que foi apresentado no último dia 10 de dezembro, durante reunião ordinária da AAMFer.

O foco do acordo foi o desenvolvimento de um equipamento que, ao ser acoplado a uma cadeira de rodas convencional, transforma-a em uma cadeira motorizada. A vantagem é ser mais leve, mais eficiente e bem mais barata do que os modelos disponíveis no mercado. A faixa de preço de cadeiras motorizadas varia entre R$ 7 mil e R$12 mil, enquanto o protótipo desenvolvido custou um pouco mais de R$ 3 mil, ou seja, um valor bem mais acessível.

O protótipo apresentado na reunião da AAMFEer funciona comandado por um pequeno joystick, ou por meio de um instrumento introduzido na cavidade bucal do cadeirante, que lhe permite comandar a movimentação da cadeira sem que precise fazer muito esforço. Outras interfaces que induzirão a movimentação da cadeira de rodas ainda serão acopladas aos protótipos; entre essas adições, está a utilização de um aparelho conhecido como “óculos-mouse”, que funcionará por meio de pequenos movimentos de cabeça do cadeirante.

Integrante do projeto, o professor do Câmpus Votuporanga Carlos Eduardo Maia de Oliveira, conhecido como Cadu, conta que um segundo protótipo, mais eficiente e ainda mais barato, já está sendo desenvolvido pela equipe. De acordo com ele, o objetivo final é produzir mais desses equipamentos e assim favorecer pessoas que não podem arcar com os altos custos das cadeiras de roda motorizadas disponíveis no mercado, como é o caso dos pacientes da Rede de Reabilitação Lucy Montoro, de Fernandópolis.

O reitor do IFSP, Eduardo Modena, fez questão de ressaltar que o sucesso do projeto está no fato de ele ter envolvido tanto instituições que têm o conhecimento técnico, como é o caso do Instituto Federal, como instituições que estão na ponta de todo o processo e que conhecem as reais necessidades dos usuários de cadeiras de roda.

Além de Cadu, quatro servidores e dois alunos do Instituto estão envolvidos no projeto: os professores Osvandre Alves Martins e Claudiner Mendes de Seixas, os técnicos Carlos Eduardo Alves da Silva e Otacílio Donisete Franzini e os discentes do curso de Engenharia Elétrica do Câmpus Votuporanga, Jardel Dias Brito e Kayro Borges Mariano, que recebem bolsa de pesquisa para a participação. A iniciativa conta também com outros colaboradores, entre eles o médico Flávio Benez, do Lucy Montoro. Ainda, parte dos recursos para o desenvolvimento do projeto foram disponibilizados pelo deputado federal Fausto Pinato (PP-SP).

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página