Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

IFSP ganha primeiro grupo de pesquisa sobre inclusão na Rede Federal

O objetivo do grupo é pesquisar e discutir a inclusão escolar do público-alvo da educação especial na Rede

  • Publicado: Quinta, 04 de Junho de 2020, 19h44

Com as políticas públicas de inclusão escolar, o número de matrículas de estudantes considerados público-alvo da educação especial — alunos com deficiências, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação — têm aumentado. 

Quando se fala em inclusão, é necessário garantir que estudantes tenham condições de acesso, participação e sucesso em todo o processo de escolarização. Pensando nisso, a professora Carla Ariela Rios Vilaronga, do Câmpus São Carlos, criou o grupo de pesquisa multicampi intitulado Inclusão Escolar na Rede de Educação Profissional Tecnológica (GPEI-EPT). Primeiro do IFSP a abordar esse tema, o grupo tem como foco a realização de pesquisas que contextualizem como está ocorrendo a inclusão escolar na Rede Federal; pretende-se, ainda, disseminar e fortalecer as políticas públicas de inclusão, por meio de dados científicos sobre o tema.

A ideia, segundo Carla, é produzir e divulgar pesquisas relacionadas à inclusão escolar de estudantes público-alvo da educação especial nos cursos de ensino médio integrado, ensino técnico e tecnológico e superior nos institutos federais. De acordo com ela, uma das preocupações do grupo é discutir a inclusão nas instituições que integram a Rede, considerando os seus diferenciais com relação às escolas de educação básica e às universidades. A professora cita como diferenciais, por exemplo, o leque de cursos, a verticalização do ensino e o financiamento dos estudantes da educação especial — enquanto as escolas estaduais e municipais recebem recursos dobrados para esse público, os institutos federais não recebem financiamento para eles, ficando a cargo de cada IF pleiteá-los conforme suas próprias políticas.  

Carla lembra ainda que a Rede tem produzido muitas inovações com relação à Tecnologia Assistiva, à formação docente e a projetos relacionados aos alunos, no que diz respeito à informação e à quebra de preconceito (muitas ações podem ser conhecidas nas edições da revista Napne em Ação ).

Atualmente integram o grupo as pesquisadoras Mary Grace Andrioli, Michele Oliveira da Silva, Priscila Moreira Corrêa Telles e Gabriela Alias Rios, todas do IFSP. Porém, a ideia é que em breve o grupo seja ampliado para pesquisados de outros institutos, que já sinalizaram interesse na realização de pesquisas conjuntas.

 Quem quiser mais informações pode entrar em contato com o grupo pelo e-mail  .

 

 

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página