Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Professor do IFSP recebe recursos da Fapesp para desenvolver sistema de radioluminescência

Projeto prevê o estudo de minerais brasileiros para aplicação em dosimetria das radiações

  • Publicado: Quarta, 25 de Novembro de 2020, 17h11
  • Última atualização em Quarta, 25 de Novembro de 2020, 17h51

O professor Neilo Trindade, do Câmpus São Paulo, teve um aditivo em torno 120 mil reais em seu Auxílio Pesquisa, aprovado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O projeto inicial, aprovado em 2019, prevê o estudo de minerais brasileiros para aplicação em dosimetria das radiações.

De acordo com Trindade, sendo o Brasil um dos maiores produtores e fornecedores de uma grande variedade de gemas do mundo, verifica-se a necessidade de se estudar demais cristais naturais, principalmente minerais nacionais, que possam ser úteis para a dosimetria de radiações. Dentro desse contexto, durante o desenvolvimento do atual projeto, após fazer um plano estratégico, o pesquisador solicitou mais recursos à Fapesp para desenvolver um sistema de radioluminescência (RL).

Segundo Neilo, a Fapesp avaliou o relatório científico positivamente e aprovou integralmente a solicitação do orçamento para montar o sistema RL acoplado com outra técnica complementar, a termoluminescência, totalizando cerca de R$120 mil. Além disso, o pesquisador contará com o auxílio de um bolsista técnico. “A agência, assim como IFSP, tem acreditado bastante em nosso trabalho, e isso nos traz uma responsabilidade muito grande perante o meio acadêmico e a sociedade”, contou.

O pesquisador explica que a luminescência é a emissão de luz apresentada por algumas substâncias quando submetido a algum tipo de estimulo, como calor, eletricidade, luz ultravioleta (UV) ou infravermelha, reação química ou radiação ionizante, abaixo do ponto de incandescência. A radioluminescência é quando a luminescência ocorre durante o estímulo com radiação ionizante. Por isso, segundo ele, é bastante útil para estudar materiais luminescentes que são usados, ou têm potencial de uso, na área de dosimetria.

 De acordo com Trindade, no caso dos minerais brasileiros, que são objeto da pesquisa, com auxilio de técnicas complementares, é possível estudar com profundidade os centros absorvedores e emissores, tanto para ter confiabilidade da gema adquirida quanto para correlacionar esses elementos com os que sejam responsáveis pelo sinal luminescente.

O projeto é desenvolvido em colaboração com a professora Elisabeth M. Yoshimura, do Grupo de Dosimetria das Radiações e Física Médica, Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP), com o professor Ronaldo Santos da Silva, do Departamento de Física da Universidade Federal do Sergipe (UFS), e com o professor Luiz G. Jacobsohn, do Departamento de Engenharia de Materiais da Universidade de Clemson, EUA.

De acordo com o professor Neilo, o sistema deve ficar pronto até outubro. Com os recursos aprovados pela Fapesp, serão adquiridos componentes como espectrômetro, fonte de raios X,  fibras ópticas e fotomultiplicadora; posteriormente, será confeccionada uma câmara para o sistema, e será feita a interface deste com o computador.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página