Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

ptenfrites
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Com redução de 16,5%, IFSP define distribuição do orçamento para 2021

O orçamento do IFSP para 2021 será 16,5% menor em relação a este ano; a redução definida pelo governo federal impacta a Assistência Estudantil (ação 2994) e o Custeio (ação 20RL)

  • Publicado: Quarta, 23 de Dezembro de 2020, 11h32
  • Última atualização em Quarta, 23 de Dezembro de 2020, 14h07

Em agosto deste ano, o Colégio de Dirigentes e o GT de Orçamento haviam acordado a manutenção da assistência estudantil, mesmo com uma redução maior nos valores para custeio como forma de compensação. Assim, para 2021, a assistência estudantil terá um acréscimo de 3%, e o custeio, uma redução de 19,5%.

Segundo José Roberto da Silva, pró-reitor de Administração (PRA), o GT de orçamento, composto por servidores da PRA, diretores e membros do Conselho Superior (Consup), atuando de forma técnica e imparcial, elaborou quatro propostas de distribuição dos recursos aos câmpus, para discussão e deliberação do Colégio de Dirigentes (Coldir).

A proposta no 1 considerava o orçamento de 2020 dos câmpus, aplicando igualmente para todos o acréscimo de 3% para a assistência estudantil e redução de 19,5% para custeio. Segundo José Roberto, como a matriz Conif está baseada em 2018, essa opção prejudicava os câmpus que tiveram aumento no número de matrículas nos últimos dois anos.

Já a proposta no 2 atualizou a Matriz Conif, considerando o número de matrículas totais para distribuição, conforme dados de 2019 da Plataforma Nilo Peçanha.

A terceira proposta previu o mesmo mecanismo da proposta no 2, porém estabelecendo um piso de R$ 1,2 milhão para câmpus pleno, e R$ 550 mil para câmpus avançado.

A quarta proposta partiu de um piso de R$ 1 milhão para câmpus pleno, R$ 5 milhões para o Câmpus São Paulo e R$ 500 mil para câmpus avançado, distribuindo o restante do recurso de maneira proporcional às matrículas totais.

O Coldir se reuniu em 27 de novembro para apresentação e discussão das propostas, com a presença também das diretoras e diretores eleitos para iniciar o mandato em 2021. Após apontamentos e sugestões feitos nesta reunião, o GT de orçamento voltou a se reunir e enviou para análise dos diretores as quatro propostas atualizadas. Houve apresentação de outras propostas elaboradas por diretores e, em 04 de dezembro, o Coldir realizou reunião extraordinária, optando pela proposta no 3.

A reitoria, que reteve anteriormente 6,35% para contratos dos câmpus cuja gestão é feita por ela, reduzirá essa retenção para 6,13%, como forma de compensar a suplementação dos câmpus para o piso estabelecido.

O reitor Eduardo Modena destacou a qualidade do trabalho do GT do orçamento e a maturidade da análise do Colégio de Dirigentes, que teve claramente por objetivo realizar a distribuição do orçamento da maneira mais equânime entre os câmpus. Reforçou também que a reitoria e os câmpus estarão empenhados na obtenção de recursos junto à Setec e parlamentares.

registrado em:
Fim do conteúdo da página