Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

IFSP formaliza parceria para realização de projeto de P&D

Projeto de pesquisa aplicada possibilitará a instalação de uma usina fotovoltaica e irá colaborar para uma economia de 70% no valor da conta de energia do Câmpus Boituva, onde será desenvolvido. Além disso, serão instalados laboratórios e haverá produção de kits didáticos e cursos de capacitação na área energética.

  • Publicado: Sexta, 23 de Fevereiro de 2018, 19h42

O projeto "Fontes Renováveis e Eficiência Energética no IFSP Câmpus Boituva como Vetores para Novos Cursos e Redução de suas Despesas de Energia Elétrica" é coordenado pelo professor Felipe Almeida.  A iniciativa foi submetida à chamada nº 01/2016 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), e contou com apoio da Diretoria de Infraestrutura e do Núcleo de Inovação Tecnológica do Instituto Federal de São Paulo. A formalização do acordo para a realização do Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) entre o IFSP e a empresa parceira, CPFL Energia, foi concluída este mês. A partir de agora, será iniciada uma série de obras e ações de eficiência energética e P&D.

Entre as ações de eficiência energética estão: instalação de uma usina fotovoltaica de 75 kW; substituição de equipamentos de ar-condicionado por outros mais eficientes; substituição de lâmpadas por modelos mais eficientes. Essa parte do projeto, de acordo com o coordenador, Felipe Almeida, deve ficar pronta até junho deste ano. Ainda segundo o professor, isso terá um impacto significativamente positivo para o câmpus, pois irá gerar uma redução de 70% no valor da conta de energia.

 As ações de P&D são mais abrangentes, e seguirão um cronograma de 36 meses. Elas englobam a instalação de dois laboratórios: um deles conterá um sistema fotovoltaico de 5kW para avaliar sistemas de controle e ganho de eficiência na geração e utilização na capacitação de mão de obra; o outro será organizado em contêineres, com bancadas e kits didáticos.

 O desenvolvimento de kits didáticos de baixo custo para serem replicados em outras instituições de ensino é outra ação prevista, assim como o estudo da aplicação de materiais de baixo custo em módulos fotovoltaicos com o intuito de reduzir o acúmulo de poeira para o aumento de eficiência de geração. 

Também estão contempladas, entre as ações de Pesquisa e Desenvolvimento, a elaboração de projeto luminotécnico das salas de aula e laboratórios; a implantação de cursos de capacitação; a elaboração do PPC de curso técnico em Sistemas de Energia Renovável e do curso de pós-graduação de especialização em Sistemas Fotovoltaicos; o desenvolvimento de sistema supervisório de geração da usina solar de 75 kW; um estudo dos impactos da geração distribuída na rede elétrica da CPFL. 

Ao todo são sete professores do IFSP Câmpus Boituva envolvidos no projeto, mais quatro pesquisadores da empresa de assessoria energética Hytron. O projeto contempla também a orientação de alunos de iniciação científica do curso técnico em automação industrial.

De acordo com o diretor do Câmpus Boituva, professor Bruno Nogueira Luz, a iniciativa envolve um orçamento superior a R$ 2 milhões. Ele elogiou a dedicação do Grupo de Eficiência energética do câmpus, o CiCE, e disse que a inciativa deve servir de estímulo para a comunidade de professores e pesquisadores, para que possam acreditar que trabalhos como esse são possíveis, e que projetos com investimentos e patrocínio de fontes externas se tornem cada vez mais comuns em toda a nossa Rede Federal.

O professor Felipe Almeida, que além de coordenar essa iniciativa é também coordenador de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação do Câmpus Boituva, expressou qual é o seu desejo em relação aos frutos do projeto. “Ampliar nossa capacidade laboratorial, trazer para nossa cidade uma tecnologia de ponta, capacitar mão de obra de qualidade para atender às demandas do setor de energias renováveis, criar uma cultura de conscientização de nossos alunos referente à necessidade de utilização de energias limpas e tornar o IFSP uma referência em tecnologias envolvendo energias renováveis.”

O Diretor do Núcleo de Inovação Tecnológica do IFSP, Adalton M. Ozaki, afirmou que o projeto do Câmpus Boituva é um importante passo para criar uma cultura de aproximação com o Arranjo Produtivo Local e de realização de pesquisa aplicada.

O IFSP, no intuito de acelerar a aproximação com o Arranjo Produtivo Local, aprovou a Criação da Agência de Transferência de Tecnologia e Inovação por meio da resolução 159/2017. Orientações sobre como tramitar projetos podem ser obtidas com a agência por meio do e-mail inova@ifsp.edu.br.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página