Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Aluno do IFSP é selecionado para curso no MIT

Guilherme David Santos Silva foi um dos 70 candidatos selecionados em todo o mundo para o programa LauchX, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

  • Publicado: Quinta, 24 de Maio de 2018, 11h46
  • Última atualização em Terça, 29 de Maio de 2018, 13h38

O aluno do curso Técnico em Informática integrado ao ensino médio no Câmpus Cubatão embarca para os Estados Unidos em julho, onde permanecerá por um mês. 

Guilherme comemora ao lado do amigo a doação de um microondas novo para o Grêmio Estudantil do Câmpus Cubatão
Guilherme (à direita) comemora ao lado do amigo a doação de um microondas novo para o Grêmio Estudantil do Câmpus Cubatão

 

Boas notas, atividades curriculares e muita dedicação pra preencher formulários e outras exigências do processo de seleção do curso de verão garantiram a vaga ao estudante de 18 anos. Apenas dois brasileiros foram selecionados nesse processo.

Entusiasmado, Guilherme conta que o MIT avalia muito mais do que notas. As atividades realizadas por iniciativa dos próprios candidatos fazem toda a diferença. “Eu lecionei Física por um ano como bolsista de Extensão no Câmpus Cubatão, onde também participo do Grêmio Estudantil. Ganhei duas medalhas de ouro em olimpíadas de Ciências, uma de Física (Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas – OBFEP) e uma de Astronomia (Olimpíada Brasileira de Astronomia – OBA)”. Mas Guilherme aponta como seu maior projeto o “Orgulho Federal”, que tem por objetivo divulgar casos de sucesso de alunos de Institutos Federais de todo o Brasil (veja mais abaixo).

Avaliação de notas, entrevista em inglês, preenchimento de questionários de personalidade e redações também fizeram parte dos pré-requisitos para a aplicação, que exigiu tempo integral das suas férias. Guilherme candidatou-se logo no primeiro período de inscrições e ficou na lista de espera. Apesar da insegurança, ele candidatou-se novamente no segundo período de inscrições. “Recebi um e-mail com título ‘congratulations’ e pensei ‘o que é isso?’. Na hora, a ficha não caiu!”, conta.

Guilherme contou para seus pais, mas se conteve para não espalhar a notícia. Como as despesas do curso somam 6.295 dólares, ele teria de vencer mais uma etapa: uma bolsa de estudos. Depois de enviar vários documentos e esperar mais duas semanas, recebeu a notícia de mais uma vitória. Ele pagará apenas 2% do valor do curso, o equivalente a 100 dólares. “Então eu divulguei meu aceite no Facebook e a imprensa começou a vir atrás de mim. Não esperava receber essa atenção, pois hoje é mais comum as pessoas irem estudar no exterior. Mas acabei virando uma referência e inspirando outras pessoas. É muito legal você representar sua comunidade, que tem um potencial imenso”, acredita.

 

O estudante do IFSP virou notícia na imprensa da Baixada Santista após ser selecionado pelo MIT
O estudante do IFSP virou notícia na imprensa da Baixada Santista após ser selecionado pelo MIT (Fonte: G1)

  

 

O IFSP

O bom desempenho escolar já garantiu a Guilherme a oferta de uma bolsa integral de estudos por uma instituição de ensino privada. Em 2016, o aluno fez um curso de Engenharia Química na Universidade de Coimbra, em Portugal, com todas as despesas pagas por essa instituição.

“Eu estava quase aceitando mudar de escola, mas pensei muito e cheguei à conclusão de que viraria uma máquina lá, e não era o que eu queria”, revela. “No Câmpus Cubatão temos pessoas excepcionais. Faço tudo honrando o nome do nosso câmpus, da nossa comunidade, que é estupenda”, afirma.

Guilherme atribui suas conquistas acadêmicas às oportunidades que tem no IFSP. “O Instituto me ajudou, em primeiro lugar, com a oportunidade de ter meus projetos. Eu não conseguiria fazer nada disso se eu não fosse aluno do IF. Participei das olimpíadas de Ciências porque os professores acham importante. Eles não têm obrigação nenhuma de participar. O IFSP me deu oportunidade de fazer muitas coisas, de explorar muito mais. Eu acho fantástico!”, relata. “Tanta gente diz que os colégios norte-americanos oferecem aulas de dança, de teatro. Aqui no IFSP fazemos tudo isso de graça. Essa liberdade e autonomia que o Instituto Federal oferece para os alunos são ótimas, eu jamais conseguiria a aprovação no MIT não fosse isso”, completa.

O estudante tem a certeza de que muitos alunos do IFSP também podem conseguir a aprovação em programas com o do Instituto de Tecnologia de Massachusetts. “Eu consegui porque eu estava atento a essa oportunidade, mas tem gente com um potencial imenso aqui no câmpus e, certamente, em outros câmpus também. É importante mostrar que essas oportunidades existem”.

Preparativos

O curso de empreendedorismo que reunirá 70 jovens de diferentes partes do mundo será realizado entre 15 de julho e 11 de agosto. Guilherme conta que os participantes são divididos em grupos, cada um deve desenvolver um projeto de negócio. Se o projeto for bem sucedido, os jovens podem continuar com esse trabalho no MIT.

Para se ambientar, o aluno do Câmpus Cubatão tem conversado com os demais selecionados por meio de redes sociais. “É impressionante o currículo deles. Cada pessoa que foi admitida no programa já tem uma bagagem muito grande. Tem gente com prêmio internacional de ciências, gente que tem projetos sociais imensos!”, anima-se.

Guilherme conta que está muito feliz com a participação no programa, mas acredita que a relação com os demais participantes fará a diferença nessa viagem. “Eu estou muito confiante de que essa oportunidade vai me mudar, cada pessoa lá vai poder me ensinar muito, seja em ciências, seja na parte social, vai ser uma atividade muito agregadora”.

Orgulho Federal

“Em geral, as pessoas acreditam que você tem que ser aprovado em um bom vestibular para ter sucesso, mas acho que há outras formas de alcançar o sucesso e a felicidade. Queria mostrar que é possível ser feliz seguindo suas paixões, claro que com muita dedicação e esforço”, explica Guilherme, que passou a procurar exemplos entre alunos dos Institutos Federais para concretizar o projeto Orgulho Federal.

Na Rede Federal de ensino, ele diz ter encontrado estudantes “sensacionais”. “Pessoas que passaram em Harvard e nas instituições mais renomadas do mundo. Também conheci o estudante mais premiado em competições de Ciências do Brasil, que é aluno de um Instituto Federal”, revela.  O projeto cresceu e resultou em uma página da internet e também no Facebook. Saiba mais em www.orgulhofederal.org e em http://fb.com/orgulhofederal.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página