Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

ptenfrites
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Câmpus Boituva lança sonda estratosférica no próximo sábado

O equipamento batizado de Sairus fará imagens a 30 mil metros de altitude

  • Publicado: Quinta, 28 de Janeiro de 2021, 20h30
  • Última atualização em Sexta, 29 de Janeiro de 2021, 11h49

A equipe SCAIF-BTV de estudos de balões de grande altitude do Câmpus Boituva, fará no próximo sábado, dia 30 de janeiro, o lançamento de sua primeira sonda estratosférica, a SAIRUS.  

O proposta de construção da sonda surgiu a partir de um projeto de iniciação científica proposto pelo professor Mario Luiz Ferrari Pin para desenvolver a plataforma multi missão (PMM), “a gente pegou emprestado o conceito desenvolvido no INPE com o satélite Amazônia 1, que deve ser lançado, em fevereiro, na Índia”, explica o professor. A missão espacial ou estratosférica do Câmpus Boituva tem como a missão registrar fotos e vídeos acima dos 30.000 metros de altitude, onde a atmosfera é suficientemente rarefeita para ver o céu escuro mesmo durante o dia e também validar a PMM, desenvolvida pelo professor Mário e o estudante Brenno Vitor Morais Inácio, A plataforma possui sistema de rastreamento, comunicações, telemetria, armazenamento de dados e fornecimento de energia.

Para a missão serão embarcadas duas câmeras além de outros sistemas para o fornecimento de energia, controle térmico, telemetria, rastreamento e armazenamento de dados para análises futuras, o sistema desenvolvido pela equipe, poderá integrar outras missões com outros propósitos.

Todo o projeto foi desenvolvido baseado em Arduino, que é uma plataforma de prototipagem de circuitos microcontrolados muito usada nas aulas. Um balão inflado com gás hélio será o responsável por levar todo o equipamento à estratosfera. “O voo deve demorar cerca de duas horas, uma hora para subir (quando atinge uma certa altitude o balão estoura) e uma hora para descer com a ajuda do paraquedas”, conta o professor Mário. Durante todo o percurso a equipe rastreará o equipamento e monitorará as imagens recebidas.

Nas imagens é possível ver a sonda que é composta por uma caixa que acomoda em seu interior antenas do rádio e GPS, sensor de temperatura, painel solar que fornece energia durante o voo, rádio transmissor, diversos sensores e cartão de memóriaA equipe responsável pelo projeto se formou no início de 2020 com estudantes do Ensino Médio e Superior, com o propósito de usar o lançamento de um balão estratosférico como uma forma de integração entre disciplinas técnicas, como: eletrônica, programação, automação, e as do núcleo comum: matemática, física, química, biologia, geografia e outras. O interesse pela área aero espacial despertou o interesse da comunidade por estar sempre acompanhada de tecnologia de ponta e novos desafios, o professor Mário espera que com o lançamento dessa primeira missão e a volta às aulas, consiga ampliar a equipe e prosseguir com os estudos.

O evento faz parte da 17ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia e será transmitido em tempo real nos canais do YouTube e Facebook, do Câmpus Boituva, a partir das 8h30.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página