Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

IFSP participa de eventos sobre Indicação Geográfica no interior do estado

Ao todo, já são mais de 40 projetos de IG apoiados pelo Instituto 

  • Publicado: Sexta, 13 de Mai de 2022, 14h36
  • Última atualização em Sexta, 13 de Mai de 2022, 14h40
  • Acessos: 240

Nos dias 10 e 11 de maio, representantes do IFSP participaram de dois encontros, realizados no interior paulista, que tiveram o objetivo de discutir os processos de Indicação Geográfica (IG) com representantes das cadeias produtivas. O primeiro evento aconteceu em São Roque e tratou da IG de vinho e de alcachofra. O segundo, em São Miguel Arcanjo, abordou o mesmo processo envolvendo a uva de mesa. 

Os eventos foram realizados por meio de uma iniciativa do Sebrae, do IFSP, do APL Agrotech/Parque Tecnológico de Sorocaba, da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo (SAA), das prefeituras locais e do Mapa, por meio de sua representação no Estado, a Superintendência Federal de Agricultura (SFA-SP). 

O primeiro evento, realizado no dia 10, aconteceu no Câmpus São Roque. Na oportunidade, foram ministradas três palestras, sendo uma do Sebrae, sobre associativismo, outra do IFSP acerca do histórico dos trabalhos anteriores e de mercado, e outra do Mapa a respeito de conceitos de Indicação Geográfica, ministrada pelo professor Fábio Lenk, do Câmpus São Roque. 

As potenciais Indicações Geográficas de vinho e de alcachofra de São Roque, Ibiúna e Piedade estão na fase de "sensibilização", de acordo com a classificação adotada pela Coordenação de Indicação Geográfica de Produtos Agropecuários (CIG) do Mapa.  

Já a potencial IG de uvas de mesa da região de São Miguel Arcanjo está na fase de "prospecção", seguindo a mesma metodologia. No dia 11, foi realizada uma reunião sobre a IG da uva de mesa, na Associação Cultural e Esportiva de Colônia Pinhal, em São Miguel Arcanjo. Os representantes das cadeias produtivas locais participaram de palestras sobre associativismo (Sebrae), conceitos de IG (Mapa) e experiência do trabalho de Indicação Geográfica em Jundiaí, ministrada pelo professor Felipe Lara, do IFSP, que é coordenador do projeto de indicação Geográfica da Uva de mesa de Jundiaí.  

Além de coordenar o projeto de Indicação Geográfica da Uva Niagara Rosada de Jundiaí, o professor Felipe é coordenador técnico de 12 projetos de IG que o IFSP assessora junto ao Sebrae e de outros 15 projetos provenientes do Edital nº. 63 da Setec. Por seu trabalho com Indicações Geográficas, o professor Felipe foi o convidado do segundo episódio do InCast – Podcast Agência de Inovação do IFSP (Inova). Confira aqui. 

De acordo com o Diretor Executivo da Inova, Eder Sacconi, no Edital nº. 63 da Setec, o IFSP e o IFES atuam conjuntamente no sentido de disponibilizar a metodologia norteadora para a execução do projeto. Por meio desse edital foram provados 26 projetos, de diversos Institutos Federais, sendo 15 de diagnóstico e 11 de estruturação do pedido junto ao INPI.  

Ainda de acordo com Eder, o IFSP tem outros 14 projetos de IG selecionados em edital próprio, que estão cada um em uma fase diferente. Ao todo, são mais de 40 projetos apoiados pelo Instituto. 

Indicações Geográficas 

As Indicações Geográficas se referem a produtos ou serviços que tenham uma origem geográfica específica. Seu registro reconhece reputação, qualidades e características que estão vinculadas ao local. Como resultado, elas comunicam ao mundo que certa região se especializou e tem capacidade de produzir um artigo/prestar um serviço diferenciado e de excelência. 

Clique aqui e acesse mais informações sobre o assunto.  

registrado em:
Fim do conteúdo da página